Professores e professoras de Canindé seguem na luta por direito a receber salário

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em Redes Municipais

Diante da política cruel de atrasos de salários ostentada pela prefeitura de Canindé de São Francisco, dirigentes do SINTESE estiveram nesta sexta-feira, 6, em audiência no Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ/SE) para tratar sobre o pagamento do salário do mês de novembro. Participaram também da audiência o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Canindé e representantes da prefeitura do município.

Foi apresentada durante a audiência no TJ/SE a proposta da prefeitura da Canindé para realizar o pagamento dos salários de novembro aos professores e professoras, que são remunerados pelo Fundeb, da seguinte maneira: 50% do pagamento até o dia 12 de dezembro de 2019 e os outros 50% até o dia 20 de dezembro de 2019.

O Presidente do TJ/SE, desembargado Osório Ramos Filho, que conduziu a audiência, determinou ainda uma nova audiência para o dia 19 de dezembro, com o objetivo de tratar sobre o pagamento do salário de dezembro, para professores e demais servidores municipais de Canindé e também para tratar sobre o pagamento do 13º salário de 2019, além do pagamento do 13° salário de 2018, que o prefeito, Edinaldo da Farmácia, ainda deve aos professores e professoras da rede municipal.

Na próxima quinta-feira, dia 12, a proposta da prefeitura para o pagamento do salário de novembro será apresentado aos professores e professoras de Canindé, em assembleia da categoria.

A situação vivida pelos professores e professoras da rede municipal de ensino de Canindé de São Francisco é crítica, uma vez que salário representa dignidade, contas pagas e comida a mesa. Salário representa vida.

“A prefeitura não pode simplesmente negar o direito de subsistência de trabalhadores, deixar professores e professoras sem saber quando e se vão receber o salário do mês. Queremos um posicionamento do prefeito Edinaldo da Farmácia, queremos que ele se comprometa e respeite o nosso direito. Diante de tudo isso, é fundamental a participação massiva de professores e professoras na nossa assembleia, na próxima quinta-feira, precisamos estar fortes e unidos na luta para assegurar o que é nosso por direito”, convoca a diretora do departamento de assuntos das bases municipais do SINTESE, professora Emanuela Pereira.